CASA TATO: EDIÇÕES 3 E 4

4 minutos para ler

Conheça o programa de incentivo ao diálogo entre artistas e agentes do circuito da arte

No mês de julho a Casa Tato inaugurou as exposições de sua terceira e quarta edição no bairro Higienópolis, em São Paulo. O projeto idealizado por Tato DiLascio é um braço da Galeria Tato, e nasceu no início da pandemia, promovendo encontros virtuais entre cerca de 14 artistas, curadores e outros agentes convidados. 

Vista da exposição Casa Tato 3, no piso superior. Foto: divulgação. 

O programa é voltado a ações educativas, formações e estudos de processo. Cada ciclo dura 6 meses e tem uma exposição com os artistas participantes apresentada no seu início e fim, que ocorre em um local diferente a cada edição. 

A programação possui vários módulos: produção, desenvolvimento de comunicação, leitura de portfólio (no qual 7 curadores fazem lêem os portfólios em 4 encontros), todos voltados ao processo de pesquisa e produção artística.

Nesta ocasião encontramos o final da Casa Tato 3, curada por Claudinei Roberto da Silva, e o começo da Casa Tato 4, curada por Rejane Cintrão.

Casa Tato 3

Essa exposição se coloca como uma resistência dos artistas em tempos difíceis. No texto curatorial, Claudinei Roberto Silva fala sobre o resultado do processo: 

“[…] são múltiplas as vertentes das pesquisas que estimulam a sensibilidade desse grupo: o corpo da mulher, o machismo estrutural, a ecologia e o ambientalismo, a crítica ao consumo irresponsável, são temas lapidados por esses artistas das maneiras mais diversas, são desenhos, assamblages, pinturas, esculturas, vídeos, fotografias e performances”. 

Vista da exposição Casa Tato 3, no piso superior. 

Participam da Casa Tato 3: Claudia Tavares, Daaniel Araújo, Débora Rayel Eva, Érica Iassuda, Guilherme Borsatto, Jonatas Teixeira, Lidia Lisbôa, Lourdes Colombo, Pedro Leão, Renata Carra, Rosindo Torres, Tuca Chicalé Galvan e Yohana Oizumi

Casa Tato 4

Ainda no começo do seu ciclo, esta edição reúne obras produzidas nos últimos dois anos, apresentando o repertório dos artistas antes do programa. Analisando o conjunto de obras selecionadas, a curadora Rejane Cintrão reflete: 

“Temas recorrentes na história da arte como a paisagem, arte urbana e a referência à própria história da arte, a exemplo da arte povera italiana, são expressos por meio de pinturas, esculturas e diferentes processos de registros e ampliações fotográficas, além de questões relacionadas à pandemia e à privação da vida social, que têm levado a mudanças drásticas na maneira de viver”.

Vista da exposição da edição 4, no piso inferior. 

Participam da Casa Tato 4: Andréa Bracher, Claudia Kiatake, Cristina Suzuki, Fabio Benetti, Kika Goldstein, Lucia Rosa, Marcos Pereira de Almeida, Otavio Fabro, Pedro Hórak, Rose Aguiar, Sandra Gonçalves e Vera Toledo.

Em entrevista concedida para a Artsoul, Tato DiLascio diz que o projeto busca trazer mais visibilidade para os artistas. Para conhecer mais sobre os artistas participantes dos programas Casa Tato e ver suas obras, acesse a página da galeria em nosso site. As exposições ficam abertas para visitação até o dia 01 de agosto. 

_____________________

Serviço

Exposição: Casa TATO 3 e Casa TATO 4

Curadoria: Claudinei Roberto da Silva e Rejane Cintrão

Organização Casa Tato/ Galeria Tato – Tato DiLascio

Local: Rua Dr. Veiga Filho, 100, Higienópolis – São Paulo, SP

Período expositivo: 02/07 até 01/08

Visitação: Quinta-feira à Domingo, 11h às 18h

Agendamento de visitas com até 15 minutos de antecedência pelo

whatsapp: 11 98171-2121

*O espaço segue todos os protocolos sanitários, com uso obrigatório de máscara e limite de pessoas no ambiente.

____________________

Diogo Barros é curador, arte educador e crítico, formado em História da Arte, Crítica e Curadoria pela PUC SP.

____________________

Gostou deste texto? Leia também:

Amilcar de Castro: na dobra do mundo

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial