Residência inédita de arte contemporânea reúne artistas capixabas e ressalta seus processos criativos

3 minutos para ler

A ação coletiva, que reúne seis artistas capixabas, é realizada pela primeira vez de forma virtual, por conta da pandemia do novo coronavírus

A OÁ Galeria, um dos maiores espaços de arte contemporânea do Espírito Santo, é apoiadora da residência artística virtual, intitulada “Residência 8”, disponível até o dia 26 de março, no Instagram @residencia.8. A ação é um projeto fomentado pela Secretaria de Cultura do Espírito Santo (Secult), via Lei Aldir Blanc.

A Residência 8 é uma iniciativa dos artistas capixabas Juliana Pessoa, André Arçari, Bruno Zorzal, Fredone Fone, Luciano Feijão e Rick Rodrigues. O grupo foi formado ao longo de um projeto realizado pela galeria, em meio à pandemia do novo coronavírus, no ano passado.

Os artistas em residência dialogam com Ananda Carvalho, professora do Departamento de Artes Visuais, da Universidade Federal do Espírito Santo, crítica de arte e curadora. Junto a ela, estará também o curador Marcelo Campos, Professor do Departamento de Teoria e História da Arte e dos Programas de Pós-Graduação em Artes e História da Arte do Instituto de Artes da UERJ e curador chefe do Museu de Arte do Rio. A iniciativa de incluir um profissional de outro estado busca ampliar e aprofundar os questionamentos durante o processo de residência que possui, além do seu caráter prático, o intuito de promover trocas sobre o fazer artístico. Sendo assim, esses dois olhares maduros e distintos contribuirão para dar mais propriedade à experiência criativa. 

Ao longo do programa de residência, cada artista desenvolverá um trabalho pessoal na galeria, individualmente, durante uma semana, totalizando seis semanas. Ao final de cada período de trabalho, serão realizados encontros do tipo “ateliês abertos”, reunindo artistas e curadores, de forma virtual, com participação do público em geral. Ao final, será publicado um catálogo eletrônico reunindo imagens e textos gerados durante o programa.

De acordo com Ananda Carvalho, é só “a partir da escuta, do estudo das trajetórias e proposições dos artistas“, que poderemos compreender as relações com o “contexto atual da arte”. Nesse sentido, surgiu, ao longo deste processo, o desejo de intensificação do diálogo de ideias e troca de experiências que contribuam tanto para o crescimento de cada um, quanto, sobretudo, para o desenvolvimento da cena artística capixaba, que há anos sofre com o fechamento e/ou a restrição das atividades de seus espaços culturais, sejam eles públicos ou privados. 

A ação coletiva, que teve início em fevereiro deste ano, contempla os seis artistas, de diferentes linguagens e dois curadores, que irão conviver, mesmo que a distância, até o dia 26 de março com o  intenso trabalho, por meio de encontros (presenciais e virtuais) diários, contribuindo para o amadurecimento crítico e criativo de todos os envolvidos. 

A experiência é aberta ao público em geral, que poderá acompanhá-la pelo Instagram e também assistindo às lives semanais através do canal da Residência 8 no Youtube. 


Um dos objetivos é a aproximação do público, muitas vezes pela primeira vez. É fundamental estabelecer esse tipo de aproximação entre o artista e seu público para que seja desconstruída a imagem equivocada da arte como algo inacessível, pois como já dizia Nietzsche: a arte é o grande estimulante da vida.

Serviço

Residência 8
Instagram: @residencia8
Youtube: canal Residência 8
Data: disponível até o dia 26 de março

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial