Feira de arte ArPa realiza sua primeira edição, em junho, no Pavilhão Pacaembu

10 minutos para ler

Equipe de produção da primeira edição da feira de arte ArPa

Propondo uma experiência aprofundada e próxima com o público em geral e com os colecionadores de arte, a VIVA Projects – agência cultural liderada por Camilla Barella e Cecilia Tanure -,  em parceria com a Allegra Pacaembu – concessionária que assumiu a gestão do Pacaembu em 2020 -,  realizam a feira de arte ArPa, que acontece entre os dias 01 e 05 de junho, de quarta-feira a domingo, no Pavilhão Pacaembu, espaço localizado no Complexo Pacaembu, com entrada pela Praça Charles Miller. Nesta primeira edição, a realização da ArPa será simultânea à MADE – Mercado, Arte, Design; feira de design que chega a sua décima edição. A parceria é uma iniciativa do curador de design, Waldick Jatobá.

A ArPa conta também com direção de Cristina Candeloro e recebe mais de 45 expositores que comercializam suas obras no espaço de 4 mil m². Os objetivos centrais do evento são expandir a arte nacional por meio dessa nova experiência e agregar colecionadores de todo o país, gerando novas oportunidades para galerias e possibilitando conexões com o cenário internacional. “A ArPa nasce de um diálogo direto com as galerias e entender suas necessidades e demandas é a nossa meta”, comenta Camilla Barella.

Dentre os mais de 45 expositores – do mercado primário e secundário -, a Feira contará com estandes destinados a jovens galerias, mas também aos artistas já consolidados no circuito das artes. A previsão é que o valor inicial para a comercialização de obras na ArPa seja a partir de 5 mil reais. “Queremos produzir um evento destinado aos negócios, mas que também dê lugar à formação de público – por isso estamos promovendo visitas guiadas com curadores e produtores culturais e também teremos o setor Arte em Campo, que leva à Praça Charles Miller uma seleção de esculturas e instalações, ao ar livre, abertas para visitação gratuita do público”, reforça Barella.

A diretora da ArPa conta que o processo de seleção de curadorias para os diferentes segmentos da Feira se deu a partir da experiência  de cada profissional visando construir um evento de arte com um olhar descentralizado; que possa reunir diferentes abordagens, perspectivas e pontos de vista sobre a arte. “Como a feira nasceu justamente da vontade de representar as galerias, fazia sentido termos um time comprometido com a diversidade”, conta Barella.

A ArPa e a Made contam com os seguintes patrocinadores: Banco Master, Comgás, Mitsubishi, MOS, Nano Art Market e Tivoli Mofarrej.

Divisão da ArPA

Para facilitar a fruição do público e também criar recortes mais detalhados para cada segmento contemplado pela Feira, a ArPa subdividiu o evento em algumas seções.

Os setores Principal, UNI e Satélite acontecem no Pavilhão. O Arte em Campo, com entrada gratuita, está localizadona Praça Charles Miller, antes da entrada do Complexo Pacaembu. Já o programa Prisma foi criado como uma forma de expandir os limites da feira e difundir o conhecimento em outros espaços e instituições da cidade.

Confira os detalhes a seguir:

Setor Principal

Participam desse setor galerias brasileiras com perfis diversos e de diferentes regiões do Brasil. Cada expositor vai apresentar dois ou três artistas, com estandes entre 30 e 50 m², com o intuito de priorizar a experiência contemplativa da arte e criar uma atmosfera mais íntima com o público colecionador.

Galerias confirmadas: Almeida & Dale Galeria de Arte (São Paulo, SP); Galeria Raquel Arnaud (São Paulo, SP); Galeria Bolsa de Arte (São Paulo, SP;  Porto Alegre, RS); Casa Triângulo (São Paulo, SP); Casanova (São Paulo, SP); Galeria Cavalo (Rio de Janeiro, RJ); Central Galeria (São Paulo, SP); Galeria Silvia Cintra + Box4 (Rio de Janeiro, RJ); Galleria Continua (San Gimignano e Roma, Itália; Beijing, China; Paris e Les Moulins, França; Habana, Cuba; São Paulo, Brasil); DAN Galeria (São Paulo, SP); Galeria Eduardo Fernandes (São Paulo, SP); Fólio Galeria (Rio de Janeiro, RJ); Gomide & Co (São Paulo, SP); Galeria Marcelo Guarnieri (São Paulo e Ribeirão Preto, SP); HOA Galeria (São Paulo, SP); Kubikgallery (Porto, Portugal); Galeria Lume (São Paulo, SP); Mendes Wood DM (São Paulo, Brasil; Bruxelas, Bélgica;  Nova York, EUA); Galeria MaPa (São Paulo, SP); Galeria Millan (São Paulo, SP); OÁ Galeria (Vitória, ES); OMA Galeria (São Paulo e São Bernardo do Campo, SP); Galeria Karla Osorio (Brasília, DF); Galeria Periscópio (Belo Horizonte, MG); Pinakotheke (São Paulo, SP); Portas Vilaseca Galeria (Rio de Janeiro, RJ); Projeto Vênus (São Paulo, SP); Gustavo Rebello Arte (Rio de Janeiro, RJ); Andrea Rehder Arte Contemporânea (São Paulo, SP); Galeria Marília Razuk (São Paulo, SP); Simões de Assis (São Paulo, SP; Curitiba, PR); Galeria Superfície (São Paulo, SP); Galeria Vermelho (São Paulo, SP); VERVE Galeria (São Paulo, SP) ; Galeria Ybakatu (Curitiba, PR) e; Zipper Galeria (São Paulo, SP).

Setor UNI

Para esse setor, a curadora Ana Beatriz Almeida selecionou um recorte de jovens galerias que tenham até sete anos de existência e que levam à ArPa projetos de um único artista representado por elas. As galerias confirmadas para esse setor são: Bianca Boeckel Galeria (São Paulo, SP); C. Galeria (Rio de Janeiro, RJ); Ed Cross Fine Art (Londres, Reino Unido); FASAM Galeria de Artes  (São Paulo, SP); Gisela Projects (Nova York, EUA); Isla Flotante (Buenos Aires, Argentina); Galeria Kogan Amaro (São Paulo, Brasil; Zurique, Suíça); Marli Matsumoto Arte Contemporânea (São Paulo, SP); Galeria Periscópio (Belo Horizonte, MG); Quadra (Rio de Janeiro, RJ) e; RV Cultura e Arte (Salvador, BA).

Ana Beatriz Almeida (Niterói, reside em Londres e São Paulo): mestra em História e Estética da Arte pelo MAC/USP. Seu campo de pesquisa são os artistas africanos e a diáspora africana. Atualmente, é consultora curatorial do MAC de Niterói e observadora estrangeira na restituição de artefactos beninenses. Também é curadora e cofundadora da instituição sem fins lucrativos, 01.01 Art Platform.

Setor Satélite

O curador mexicano José Esparza Chong Cuy seleciona galerias internacionais, expondo artistas em um programa exclusivo.

José Esparza Chong Cuy (México, reside em NY): curador, escritor e arquiteto. Atualmente, é Diretor Executivo e Curador Chefe do Storefront for Art and Architecture, em Nova York. Já trabalhou como Curador Associado do Museum of Contemporary Art Chicago e do Museo Jumex, na Cidade do México.

Arte em Campo

Aberto ao público de forma gratuita, o Arte em Campo está localizado na Praça Charles Miller e conta com a curadoria de Catarina Duncan. O setor traz instalações e esculturas de grande porte, ao ar livre, oriundas de mais de dez galerias. Em 2020, o projeto foi sediado dentro do Complexo Pacaembu, ocupando campo, quadra e piscina com obras de grande porte – a experiência foi sucesso de público.

Os expositores confirmados para esse setor são: Galeria Raquel Arnaud (São Paulo, SP); Galeria Bolsa de Arte (São Paulo, SP;  Porto Alegre, RS); Galleria Continua (San Gimignano e Roma, Itália; Beijing, China; Paris e Les Moulins, França; Habana, Cuba; São Paulo, Brasil); DAN Galeria (São Paulo, SP); Galeria Lume (São Paulo, SP); Mendes Wood DM (São Paulo, Brasil; Bruxelas, Bélgica;  Nova York, EUA); Galeria Karla Osorio (Brasília, DF); Galeria Marília Razuk (São Paulo, SP); Andrea Rehder Arte Contemporânea (São Paulo, SP); Sé Galeria (São Paulo, SP); VERVE (São Paulo, SP); Galeria Ybakatu  (Curitiba, PR) e; Zipper Galeria (São Paulo, SP).

Catarina Duncan (Rio de Janeiro): atua como curadora com foco em práticas culturais e identidades territoriais da América Latina. É formada em Culturas Visuais e História da Arte pela Goldsmiths College, University of London (2010 – 2014). Atualmente, é curadora do Solar dos Abacaxis. Em 2021, recebeu a bolsa de pesquisa curatorial da Fundação Patricia Phelps de Cisneros, no MoMa, com o projeto ‘Re-conexões territoriais’. Integrou a equipe curatorial da 32a Bienal de São Paulo, ‘INCER-TEZA VIVA’ (2015 – 2016).

Programa Prisma

Com curadoria assinada por Carollina Lauriano, o programa Prisma consiste em uma série de atividades que visam difundir conhecimento e expandir o público especializado em arte contemporânea. Ele reúne artistas, curadores, colecionadores e galeristas, promovendo visitas a ateliês, coleções e instituições.

Carollina Lauriano (São Paulo): atua como curadora com foco na inserção, desafios e conquistas de jovens mulheres artistas no mercado da arte. É formada em Comunicação Social, com ênfase em Jornalismo e também tem extensão de pesquisa em arte, design e moda, pela Central Saint Martins/UAL. Atualmente, é curadora adjunta da 13ª edição da Bienal do Mercosul de 2022 e coordenadora da residência artística Usina Luis Maluf.

Serviço

Feira de arte ArPa
Patrocínio Master | Banco Master
Patrocínio | Comgás, Mitsubishi, MOS e Nano Art Market
Hotel oficial | Tivoli Mofarrej
Quando: De 01 a 05 de junho
Preview para convidados: 01 de junho, quarta-feira
Aberta ao público: de 02 a 05 de junho, quinta-feira a domingo
Horário: Quarta-feira a sábado, das 13h às 20h30 | Domingo, das 11h às 18h
Local: Pavilhão Pacaembu, no Complexo Pacaembu
Endereço: Praça Charles Miller, s/n
Ingressos (com acesso às duas feiras): R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia). Ingressos à venda pelo site https://arpa.art/
Classificação: Livre
Site | Instagram | E-mail

Sobre a ArPa:

A ArPa é uma Feira de Arte, desenvolvida para as galerias do Brasil, com o objetivo de atrair o público especializado das cinco regiões do país, assim como para formar novos colecionadores e apreciadores de arte. Idealizada pela VIVA Projects – agência cultural liderada por Camilla Barella e Cecilia Tanure – e também com direção de Cristina Candeloro, a ArPa realiza a sua primeira edição, em junho de 2022, no Pavilhão Pacaembu.

Sobre a MADE – Mercado.Arte.Design:

MADE – Mercado. Arte. Design – é uma feira internacional de design colecionável. Uma plataforma para discutir, apreciar e comprar o melhor do design, do vintage ao contemporâneo, com foco no colecionável. A proposta do evento é reunir, a cada edição, conteúdo de qualidade por meio de exposições e instalações em um espaço coletivo que apresenta e dá destaque a designers e estúdios nacionais e internacionais, revelando novos talentos, incentivando novas produções e, consequentemente, a ampliação da cultura do design a milhares de pessoas. A plataforma MADE tem como objetivo disseminar a educação e a cultura no setor, por intermédio de uma programação de conteúdo sobre design. A feira conta com um Conselho Consultivo com o intuito de debater o design contemporâneo produzido aqui e no exterior e propor ações específicas para o projeto, ampliando o campo de discussão e agregando repertórios distintos ao universo debatido. Os membros deste conselho são figuras destacadas nos campos do design, arte contemporânea e arquitetura, formado por Cláudia Moreira Salles, Marcio Kogan, Jorn Konijn, Mauricio Eugenio e Corinna Sagesser. A MADE é realizada pela W/Design, de Waldick Jatobá, idealizador e diretor geral do evento, e por seus sócios Bruno Simões, curador do evento, e Elcio Gozzo, diretor financeiro.

Assessoria de imprensa


Gostou desta matéria? Leia também:

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial