CASAS DE ARTISTAS INTERNACIONAIS QUE VIRARAM MUSEUS (PARTE 1)

8 minutos para ler

A Artsoul selecionou casas de grandes artistas internacionais da história das artes plásticas que viraram museus.

São instituições que reconhecem a importância desses profissionais para a cultura mundial e, além disso, preservam a história vivida pelo artista como forma de ampliar o entendimento do público sobre o seu trabalho.

Conhecer o contexto da obra permite uma leitura mais complexa e consciente. Visitar estes lugares pode, então, ajudá-lo a compreender com mais clareza a produção de determinado artista.

Frida Kahlo

Fachada do Museu Frida Kahlo – Imagem: Catraca Livre
As duas fridas
As Duas Fridas, 1939 – Frida Kahlo – Imagem: Cultura Genial

Frida Kahlo, a artista mexicana mais famosa da América Latina, teve a casa que morou transformada em museu. La Casa Azul tem dois andares e cômodos espaçosos, além de cores muito vivas que destacam características tipicamente mexicanas.

O museu funciona como instituição cultural desde 1958 e o acervo é composto por objetos pessoais da artista e seu companheiro, Diego Rivera. O site disponibiliza um tour virtual, no qual o visitante pode “caminhar” por entre os cômodos.

A vida artística de Frida Kahlo começou após seu acidente de carro em 1925, quando passou a pintar no hospital. Teve a saúde bem frágil desde criança, passando por diversas cirurgias e tratamentos e traz nos seus trabalhos cenas sobre dores, doenças e composições surrealistas.

A artista é reconhecida até hoje por seus posicionamentos políticos fortes e uma personalidade determinada, sendo referência na arte latino-americana.

Casas de Artistas Internacionais – Informações
La Casa Azul
Calle Londres 247, Del Carmen, Coyoacán – Ciudad de México, México
Mais informações: site oficial

Edward Hopper

Fachada do Museu – Imagem: Site oficial
woman drinking coffee painting - Google Search | Edward hopper, Pinturas de  edward hopper, Ideias para pintura
Automat, 1927 – Edward Hopper – Imagem: wikipedia

A casa de infância do artista Edward Hopper é hoje listada no Registro Nacional de Lugares Históricos dos Estados Unidos.

A casa foi construída pelo avô do pintor em 1858, sendo sua primeira residência e local de retorno para visitas à família. Após sua morte, o local passou por um período de abandono e depois foi restaurada por membros da comunidade local.

Os eventos promovidos pelo Museu se voltam à memória do trabalho do artista com objetos, fotografias e pinturas de Hopper e de artistas que se relacionam com sua narrativa.  O site ainda conta com uma visita virtual que estimula o público a visitar e conhecer o espaço.

O seu trabalho pode ser lido como a representação sólida do silêncio. É um tanto inegável a construção única de uma atmosfera invisível em seus trabalhos.

O uso das cores frias com tons de branco pálido, os personagens sempre absortos em seus próprios afazeres ou, até, com olhares distantes que viajam por pensamentos abstratos, fizeram o pintor ganhar reconhecimento por traduzir conceitos metafísicos a cenas cotidianas.

A comparação com o sentimento de isolamento que passamos atualmente é uma das leituras possíveis para suas obras e a constatação de atemporalidade das suas narrativas.

Casas de Artistas Internacionais – Informações
Edward Hopper Museum & Study Center
82 North Broadway, Nyack – Estados Unidos
Mais informações: site oficial

Salvador Dalí

Fachada do Museu – Imagem: Pinterest
Biografia de Salvador Dalí - eBiografia
Persistência da Memória, 1931 – Salvador Dalí – Imagem: E-biografia

O artista mais extravagante da história da pintura também teve a sua casa transformada em museu. Salvador Dali, famoso por seu bigode e olhos arregalados nas fotografias de retrato, foi um artista espanhol surrealista.

O museu, que anteriormente foi a casa do pintor e sua esposa até 1982, tem no acervo objetos pessoais do artista que remetem aos trabalhos realizados durante os anos em que residiu na casa.

A própria estrutura da casa já é impressionante por si só: uma escultura de ovo gigante se apoia no telhado principal.

Os espaços internos são arredondados e intercalam entre paredes estreitas e largas. Todas as características harmonizam com o estilo de arte produzido por Dalí.

O movimento moderno surrealista carrega até hoje o rosto de Salvador Dali como seu representante. O surrealismo conecta o subjetivo do psicológico humano, os sonhos e as fantasias e compõe cenas absolutamente instigantes ao olhar.

Foi fortemente influenciado pelas teorias de psicanálise que Freud escreveu e demonstra toda a potência do afastamento da realidade para o universo do onírico.

Casas de Artistas Internacionais – Informações
Salvador Dali House Portlligat
Portlligat E- 17488 Cadaqués
Mais informações: site oficial

Auguste Rodin

Fachada e jardim da Casa – Imagem: site oficial
Arteeblog: Análise de “O Pensador” de Auguste Rodin
O Pensador, Auguste Rodin – Imagem: wikipedia

O artista responsável pela figura do Pensador, que compõe até os livros didáticos de ensino infantil, é um dos maiores escultores da história da arte.
Sua casa está localizada na França e foi o local onde viveu e trabalhou durante os últimos 20 anos da sua vida.

Seu túmulo está marcado pela presença da escultura O Pensador aos arredores da vasta propriedade, ambiente que convida à contemplação qualquer visitante que por ali passa.

Além das próprias obras expostas no museu, há também um considerável acervo de coleção que o artista reuniu com obras de Van Gogh e Renoir.

Casas de Artistas Internacionais – Informações
Musée Rodin Meudon
Villa des Brillants 19, av. Auguste Rodin
Mais informações: site oficial

Rembrandt

Fachada – Imagem: Wikipedia
A Lição de Anatomia do Dr. Tulp – Wikipédia, a enciclopédia livre

A Lição de Anatomia do Dr. Tulp, 1932 – Rembrandt

O museu Rembrandt é uma instituição com grande estrutura e repleto de conteúdo sobre a vida e obra do artista. Sendo um profissional multifacetado, são muitas as vertentes de técnicas representadas pelo museu.

A casa está na Holanda e foi restaurada nos anos 1910 para depois, ser aberta como museu. Com o passar do tempo, as outras alas também foram sendo restauradas e agregadas como espaços expositivos reunindo objetos, mobília e instrumentos que demonstram as técnicas usadas por ele.

Foi nesta casa que comemorou seus 30 anos e o auge da carreira, até que anos depois, veio a falir e, sem condições de manter a casa, foi obrigado a se mudar.

Suas obras foram determinantes na arte representativa por desenvolverem técnicas muito delicadas e um tratamento de luz e sombra contrastante.

O espaço não é o lugar ideal para conhecer suas obras mais famosas. Estas, estão distribuídas em outras instituições pelo mundo, mas não há outro lugar melhor que traga conhecimento sobre o estilo de vida do artista, seus múltiplos trabalhos como desenhista, empreendedor, professor e suas técnicas desenvolvidas no ponto alto da carreira.  

Casas de Artistas Internacionais – Informações
Museum Het Rembrandthuis 
Jodenbreestraat 4 – 1011 NK Amsterdam
Mais informações: site oficial

Van Gogh

Fachada da Casa de Van Gogh em Londres – Imagem: Art History News
Última Casa de Van Gogh na França – Imagem: TripAdvisor

Van Gogh, pintor conhecido por suas expressivas pinceladas, viveu em muitas cidades do mundo.
Duas das suas casas, porém, são identificadas como destaques por serem palcos de passagens importantes da experiência profissional e pessoal do pintor.

A primeira, situada em Londres, é hoje um espaço cultural que conserva elementos pessoais e artísticos e atua como galeria de exposição e residência artística para novos artistas. Ali, Van Gogh viveu entre 1873 e 1874, um período curto, mas representativo do auge da juventude. Foi a primeira experiência que teve com uma nova cultura em um país diferente de onde nasceu, a Holanda.

O outro espaço associado ao artista é na França, local onde se suicidou. Além da própria casa, que permaneceu intacta com os pertences originais, há um trabalho de registro feito para referenciar o espaço como histórico cultural. Ali, em Auvers-sur-Oise, Van Gogh passou seus últimos 70 dias de vida. Dias intensos de trabalho nos quais registrou diversas paisagens do entorno em 72 pinturas e 33 desenhos.

A cidade se tornou então, um registro vivo dos trabalhos do pintor. Há 29 placas, com informações e imagens, que apontam para os locais que inspiraram cada pintura do artista que ainda corresponde às construções e paisagens existentes na cidade.

Casas de Artistas Internacionais – Informações
Van Gogh’s House London
87 Hackford Road – London
Mais informações: site oficial

Maison de Van Gogh
Place de la Mairie – 52-56 rue du Général de Gaulle
Mais informações: site oficial

Victoria Louise é redatora da ArtSoul formada pela PUC-SP em Arte: História, Crítica e Curadoria e Gestão Cultural

Gostou deste texto? Leia também:
Casas de artistas: 5 residências que viraram museus

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial