13ª Bienal do Mercosul anuncia artistas e espaços expositivos da edição

2 minutos para ler

A 13ª Bienal do Mercosul divulgou nesta terça-feira (24) a lista de artistas e espaços expositivos participantes da edição. São 93 artistas e coletivos de 20 países diferentes selecionados para o evento internacional que acontece em Porto Alegre (RS) entre 15 de setembro e 20 de novembro de 2022.

Foram escolhidos diferentes espaços expositivos da cidade para compor a mostra que gira em torno do tema “Trauma, Sonho e Fuga”. Grandes instituições como o Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS, o Memorial do Rio Grande do Sul, o Farol Santander Porto Alegre, a Fundação Iberê Camargo, a Usina do Gasômetro e o Instituto Caldeira receberão a edição além de um percurso de Arte Urbana na região central da cidade.

A curadoria geral é de Marcello Dantas, ao lado dos curadores adjuntos Tarsila Riso, Laura Cattani, Munir Klamt e Carollina Lauriano. Cada uma das cinco plataformas que compõe a mostra, busca “atingir uma combinação de públicos diferentes e conteúdos originais, provocando de forma disruptiva, sensorial e reflexiva“, segundo Dantas.

Imagem da obra “Seven Deaths” de Marina Abramovic. Imagem: Folha de São Paulo

No escopo de artistas, grandes nomes do circuito contemporâneo aparecem como os brasileiros Tunga e Iole de Freitas e a sérvia Marina Abramovic conhecida por performances que exploram os limites do corpo. Notável será também a apresentação dos diários inéditos de Lygia Clark como parte da mostra que vai reconstruir o consultório de práticas psicoterapêuticas em que a artista se dedicou nos últimos anos de vida.

Além dos artistas convidados, parte do processo de seleção incluiu uma Chamada Aberta em 2021 que selecionou 19 artistas e coletivos inscritos, dentre os quais 15 brasileiros, para compor a exposição Transe. Estes artistas apresentam projetos inéditos comissionados pela Bienal, com algumas propostas tecnológicas, ao mesmo tempo que suportes tradicionais se apresentam em grande número.

“Meu desejo é levar a arte contemporânea para todos”, afirma a presidente da Fundação Bienal do Mercosul, Carmem Ferrão.

Victoria Louise é jornalista cultural, formada em Crítica e Curadoria da Arte e Gestão Cultural pela PUC-SP.


Gostou desta matéria? Leia também:

Retrato de Marilyn Monroe se torna obra mais cara do século XX vendida em leilão

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial