Entrevista com artista Renan Cepeda

3 minutos para ler

O artista Renan Cepeda começou a fotografar em preto e branco com 11 anos de idade. Escolado na experiência do fotojornalismo nos anos 1980/90, colaborou para as maiores publicações do país e foi correspondente internacional no Rio. Dedicando-se hoje integralmente à fotografia de arte, Renan Cepeda é reconhecido pelas pesquisas artísticas sobre técnicas fotográficas incomuns, como a fotografia infravermelha e o light paintingobtendo prêmios e exposições pelo Mundo.

Rio de Contas
RENAN CEPEDA
Rio de ContasRENAN CEPEDA

Artsoul: Como e quando você se descobriu artista?

Foi uma transição natural da fotografia documental para a autoral. Nos anos 80 e 90 trabalhei para as maiores publicações do pais. Ao fundar em 1996 o “Arte de Portas Abertas”, no bairro de Santa Teresa no Rio, comecei a mostrar minhas ideias e tive uma boa resposta do público. Na virada do milênio apostei em meus projetos autorais, expondo em importantes galerias, como Anita Schwartz e Tempo, e obtendo prêmios em salões de arte contemporânea, me motivando a seguir em ser artista o tempo todo.

Artsoul: Como funciona o seu processo criativo? E o que influencia nele?

Gosto do que a chamada “fotografia pura” – ou seja, sem manipulações -, ainda reserva de novidade, de surpresa. A Fotografia em si, como disciplina, permeia os meus temas e é um princípio de trabalho. Sou amigo da fotografia lenta, pensada, planejada, principalmente em meus trabalhos noturnos, onde domino a luz com lanternas na mão, em longas exposições. Os resultados são surpreendentes, apesar de certo controle que imprimo nas pinceladas com a lanterna. Já a fotografia infravermelha proporciona um mundo que existe, mas o olho humano não enxerga, ficando a cargo do artista-fotógrafo esta incumbência de reportar o invisível. O que estas duas técnicas têm em comum é que nunca estou vendo o que será o resultado.

Torres de Moncorvo, Alto Douro, Portugal
Torres de Moncorvo, Alto Douro, PortugalRENAN CEPEDA

Artsoul: Quais são seus projetos atuais no campo da arte?

Terminar a construção de meu ateliê em Nova Friburgo. Paralelamente tenho desenvolvido o projeto Flight Paintings, de árvores iluminadas ã noite com luzes presas na fuselagem de um drone. Seria um “light painting aéreo”. Também desenvolvi durante a quarentena em Friburgo o projeto “Novo normal: velho essencial”, que obteve prêmio do Institito PIPA.

Artsoul: Quais artistas  são as suas referências , inspirações ?

São muitos e cometeria injustiças ao tentar enumerar todos. Nunca tive uma referência muito definida. 

Artsoul: Quais foram os principais desafios que você vivenciou ao longo de sua carreira?

O desafio contínuo e eterno é ser um artista que vive exclusivamente de seu trabalho no Brasil.

selfie
SelfieRENAN CEPEDA

Artsoul: Agora , para encerrar , fale :

uma obra de arte

Ensaio sobre a cegueira, de Saramago.

um livro

Quincas Borba, de Machado.

um filme ou serie

Todos do Polanski

uma musica

“A nivel de”, de João Bosco e Aldir Blanc

um lugar

Ausangate, Peru.

Gostou desse texto ? Leia também :
Entrevista com artista Claudia Kayat

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial