OBRAS DE ARTE EM ESPAÇOS PLANEJADOS: CASACOR/São Paulo 2021

7 minutos para ler

A edição de 2021 de CASACOR acontece em um momento muito particular da vivência coletiva: a pandemia. A maior mostra de arquitetura, design de interiores e decoração das Américas não ignorou as tendências de comportamento e as necessidades que o último ano aflorou em todos que foram obrigados a se manter em isolamento social e a se relacionar de outra forma com o espaço em que vivem. Realçando essa nova tendência e a demanda de setorizar os espaços para fruição das diferentes atividades realizadas durante o dia, a mostra também valoriza os elementos da natureza como as pedras, as plantas e os tons, incorporando-os ao ambiente interno, aumentando sua vitalidade e vibração.

O tema do ano, “A Casa Original”, traz a “memória dos povos originários das Américas e da África a essa milagrosa e sincrética mescla de culturas chamada brasilidade” (1), escreve Livia Pedreira presidente do conselho curador da CASACOR.

Os móveis, os materiais e a arquitetura dos 56 ambientes chamam atenção acompanhados das obras de arte que dialogam cada uma com a proposta dos arquitetos.

A Artsoul visitou a mostra com um olhar direcionado às obras de arte e selecionou 6 ambientes que articulam de forma harmônica e também contrastante a exposição da arte em um espaço planejado.

ARQUITETA DEBORA AGUIAR

Artistas: Volpi (Galeria Gravura Brasileira) e José Bechara (Matias Brotas Arte Contemporânea)


CASACOR 2021, ambiente da arquiteta Debora Aguiar. Fotografia: Artsoul

Os tons escuros priorizados no ambiente de 250m² da arquiteta Debora Aguiar apresentam uma atmosfera intimista e acolhedora. A gravura de Alfredo Volpi traz cor à cozinha que para a arquiteta é o coração da casa. As cores primárias da obra harmonizam com a escolha de elementos naturais como as pedras e ornamentos rústicos, além das tonalidades próximas às da argila artesanal.
Já no quarto, a obra de José Bechara, ainda que seguindo a tonalidade da madeira, se destaca ao contrastar com a cama de tons claros. Debora Aguiar optou, nestes ambientes, por obras de padrões geométricos alinhadas às linhas bem definidas das colunas, tampos e portas.



CASACOR 2021, ambiente da arquiteta Debora Aguiar. Fotografia: Artsoul

ARQUITETA BRUNETE FRACCAROLI

Artista: Fernanda Naman 

Branco e dourado são as cores escolhidas pela arquiteta Brunete Fraccaroli para esta edição. Segundo ela, o branco simboliza a paz e está ligado à limpeza, uma questão que sempre foi importante na vida de todos, sobretudo na pandemia. Já o dourado remete ao Sol, que é fonte de saúde e representa o renascimento alcançado com os avanços da vacinação. (2)
Um ambiente com poucas cores, dá lugar para a valorização das formas. Fraccaroli explora então as texturas, os materiais e os formatos da mobília, que alternam entre silhuetas leves e curvas ou geométricas e adornadas. 

A obra escolhida é de autoria da artista Fernanda Naman que apresenta fotografias com folha de ouro na dimensão de 80×80 cm. A artista já desenvolveu uma série de trabalhos denominada Golden (2013) onde explora o dourado e a geometria, além de séries como Paisagens Silenciosas II (2020) com jogos de luz e sombra que constroem a sutileza na passagem de um tom a outro. 

Na fotografia apresentada na CASACOR 2021, os quadros trazem o familiar dourado que harmoniza perfeitamente com o ambiente de Fraccaroli mas também exploram as texturas na escala de cinza e na folha de ouro que muda o tom e o brilho de acordo com o ângulo de observação.


CASACOR 2021, ambiente da arquiteta Brunete Fraccaroli. Fotografia: Artsoul

ARQUITETO NILDO JOSÉ

Artistas: Gabriella Garcia (Galeria Lume), Célia Euvaldo e Carlos Nunes (Galeria Raquel Arnaud)

Um dos primeiros ambientes da mostra é o do arquiteto Nildo José. É característica principal a iluminação quente, combinada aos tons neutros que acolhem quem caminha pelo espaço. A sala encontra seu contraste no verde escuro da planta e nas obras de arte. A obra da artista Gabriella Garcia (à esquerda), Aspiral (2020) é feita com tecido e tinta sobre tela. A colagem do tecido em diferentes camadas traz um movimento silencioso ao ambiente do arquiteto. 

Ao lado, a obra de Carlos Nunes, Caderno 09 (2018), em cima, e a Célia Euvaldo, Sem Título (2017), em baixo, confrontam as curvas dos mobiliários e das paredes com a geometria das linhas e pontas. 

É um ambiente que também valoriza a delicadeza da cerâmica na reunião de peças artesanais feitas em vários estados do país.


CASACOR 2021, ambiente do arquiteto Nildo José. Fotografia: Artsoul

ARQUITETA PATRÍCIA HAGOBIAN

Artista: Marcelo Macedo (Galeria Luciana Caravello Arte Contemporânea)


CASACOR 2021, ambiente da arquiteta Patricia Hagobian. Fotografia: Artsoul

Uma paleta colorida já se faz presente no ambiente da arquiteta Patrícia Hagobian. A parede cinza é como um painel suspenso, com base em plantas e luz natural. O tom da parede destaca a composição dos quadros Supernova I e Supernova II do artista Marcelo Macedo, ambos de 2020. 

A disposição em díptico cria uma força que direciona todo o olhar ao ponto das obras. 

É visível como os padrões geométricos permanecem regendo todo o ambiente. Na imagem, observamos como a mobília é ordenada por escalas, assim como as formas do quadro, embora o segundo se apresente numa desalinhada diversão. 

ARQUITETA TICIANE LIMA

Artista: Vanderlei Lopes (Galeria Marília Razuk


CASACOR 2021, ambiente da arquiteta Ticiane Lima. Fotografia: Artsoul

Diferente das outras obras e ambientes mostrados aqui, o ambiente construído pela arquiteta Ticiane Lima em sua terceira participação na CASACOR, é baseado em princípios minimalistas e de pouca variação de cor. O ponto que mais interessa aqui é a luz. Com recortes estratégicos na arquitetura, a luz entra de forma natural e nos faz sentir a agradável sensação de estar do lado externo. Nesse sentido, a obra abstrata Cachoeira (2012), do artista Vanderlei Lopes, nos remete ao contato com a natureza ao usar pólvora queimada sobre papel dando a sensação de queda d’água. A composição em 4 quadros cria a narrativa de passagem do tempo e movimento próprio da água encontrada em paisagens naturais.

TRÈS ARQUITETURA

Artista: Tuneu (Galeria Raquel Arnaud)

O ambiente das arquitetas Fernanda Morais, Fernanda Tegacini e Nathalia Mouco, do Très Arquitetura é todo inspirado em cenários rústicos, naturais com cores quentes e natureza morta. Até o piso e a parede foram pensados com detalhes de cascalho que remetem ao ambiente natural.

A obra do artista Tuneu entra com o apelo do material: sendo o papel feito de madeira, a sensação é de que o espaço é um ateliê com a matéria prima dando o toque de origem dos processos de produção. O ambiente equilibra detalhes do design moderno com atmosfera rural, que além do mobiliário, se encontra na tapeçaria de grande dimensão da artista  ao lado da lareira suspensa.

CASACOR 2021, ambiente do Très Arquitetura. Fotografia: Artsoul

SERVIÇO 

CASACOR São Paulo 2021

Local: Parque Mirante, na Rua Padre Antônio Tomás, 72, anexo ao Allianz Parque.

Período: de 21/09 a 15/11 de 2021

Horário de funcionamento: Terça a Domingo das 12h às 22h


Victoria Louise é redatora da ArtSoul formada pela PUC-SP em Arte: História, Crítica e Curadoria e Gestão Cultural


(1) e (2) – Catálogo online da Edição CASACOR/São Paulo 2021

Siga-nos e compartilhe nosso blog:
Posts relacionados

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial